25 de abril de 2010

[atualizado] Relato da aventura com Mestre Nitro em Belo Horizonte!

A mesa do mestre Newton "Nitro". O grupo e eu com a camisa de Watchmen.

Como alguns ficaram sabendo, fui à Belo Horizonte apresentar mais um trabalho de minhas pesquisas no mestrado em educação sobre ‘RPG, linguagens, narrativas e juventudes’ e, por uma sorte cósmica, cheguei no mesmo dia que aconteceu o “Iº Quero Jogar RPG BH”, que deu mais gente do que o ‘gameday’ do D&D, segundo o Newton “Nitro”, que não ouso chamar de tio, já que temos idades bem próximas.

A aventura se passa em Eberron e foi muito divertido jogar. Quase não chego por alguns imprevistos e por conta de não saber o local e nem o taxista, mas o valor da corrida valeu cada centavo (não foi barata!). Eu estava chegando nas 36 horas (trinta e seis) sem dormir, pois meu voo foi duas horas da madrugada do mesmo dia e acordei cedo no dia anterior. O cansaço roubava minha atenção.

Eu, como quase sempre, escolhi um personagem brutal e ignorante, mas que também era honrado com suas ideologias. Éramos uma espécie de grupo de vingadores contra criminosos de guerra, não lembro direito (preciso reler o resumo!).

Nitro tem um estilo doido e engraçado de mestrar e também leva a aventura de forma fluente, elementos que já tive com alguns mestres em Belém, mas doido e engraçado não lembro, a não ser eu mesmo, sendo as mesas dos absurdos como “A mesa orc” com meu primeiro sistema simples e “Pinguins de Madagascar” usando o sistema Wushu, apesar de preferir jogar a mestrar.

Os elementos que ele usa como mapas, informações impressas, miniaturas e até fichas de pôquer dão a impressão de bagunçar tudo, mas deixam as coisas harmoniosas e organizadas, sempre removendo da mesa o que não é mais necessário.

Gostei da postura dele diante das regras: resolve na hora, nada de consultar livros!

Mas o que mais gostei mesmo foram as caretas, as vozes e o “tom dramático” em algumas cenas e situações. Muito doido ou “doidimais” como o ouvi falando e os outros jogadores falando também.

Também tive a oportunidade de conhecer o Edy, que também me recebeu muito bem.

Farei uma postagem nos próximos dias com um breve bate papo que fiz com o Nitro, pois eu já passava das 36 horas sem dormir, escurecia e estava em outra cidade que não conhecia, além de estar perdido dentro da UFMG (Universidade Federal).

Postagem do Nitro com MUITAS fotos da aventura e das outras mesas do evento e mais informações. Há outras postagens anteriores referentes à aventura:
http://newtonrocha.wordpress.com/2010/04/22/aventura-o-preco-de-um-resgate-eberrondd-4ereporte-da-sessaofotos-do-evento-quero-jogar-rpg-bh-17042010/

Abraços!

Gilson

- - -

Meu personagem Brom, o meio orc (ganhei a ficha, que é esta acima, toda colorida).

O grupo.

Atenção...



O evento!?
Andréa, também de Belém e que nunca jogou RPG, jogando o card game de Illuminati.




Navio mágico cercado por goblins arqueiros! (imagem de referência e foto).


Brom, meu personagem, pula do navio para uma das pedras voadoras!

Brom encara um ‘caboco’ ignorante!
Percebam o tamanho do dado d20.




Brom se lava do sangue quando caiu no ácido (hahahahah!).
Nitro: "Olha o bárbaro Brom andando pelo ácido! DOIDIMAIS!"
Comparem os tamanhos dos dados d8 e d4.



Brom é sem noção...



3 comentários:

newtonrocha disse...

Muito obrigado por participar da mesa, vindo de tão longe para as minas gerais! :) Seu Brom o Bárbaro fez história, principalmente naquela caminhada pelo esgoto de ácido para chegar no Zardoz (Dragão Verde) foi brutal doidimais! :)

Um abraço daqui de minas! :)

Gilson disse...

Obrigado pela recepção e pela aventura. Muito performática!

Abraço das Terras Quentes do Norte!

Gilson

Daniel Coimbra disse...

Pow Gilson, muito paidégua cara!
Um dia ainda jogo com o tiozão nerdossauro eheh, ano passado convidei ele pro Dia D aqui em Macapá, mas ele tava enrolado, esse ano vamos tentar de novo!

Parabéns!

: )

Postar um comentário