6 de dezembro de 2009

WARCRAFT, A história do mundo - Parte 1

Dê um "up" na sua mesa de Warcraft, saiba tudo sobre o background de um dos cenários mais queridos do mundo. [Todos os textos são frutos de pesquisa pessoal e estão em forma sintética.]

OS TITÃS E A CRIAÇÃO DO UNIVERSO
Uma explosão cósmica catastrófica espalhou infinitos mundos na imensidão do espaço, criando assim “O Grande Universo” composto de inúmeros mundos caóticos, disformes e terríveis. Os Titãs, deuses colossais de pele metálica, vieram dos confins do cosmo explorando o universo recém nascido, trabalharam mundo após mundo, criando, organizando e moldando dentro de seus próprios conceitos de ordem. Elevaram imponentes montanhas, cavaram vastos oceanos, sopraram os céus e criaram os seres nativos. O objetivo comum entre os deuses titãs era criar ordem fora do caos. Eles deram poder a raças primitivas para cuidar e manter a integridade dos seus respectivos mundos.

Entre os titãs existiam aqueles de extremo poder, um grupo de elite, formado por titãs portadores de poderes infinitos, chamado de “O Panteão”, este grupo era responsável pelo comando de todos os seres titânicos e administravam a criação de cada mundo.

Os titãs constantemente encontravam contratempos na criação de cada mundo, pois eles eram habitados por entidades nascidas do caos, e dentre todas os seres caóticos, os mais perigosos eram os demônios, entidades extra-dimensionais vis do Submundo Corrompido.

O Submundo era uma dimensão etérea de magias caóticas que estava conectado a inúmeros mundos do universo, era lar de um de infinitos seres maléficos, demônios que só buscavam destruir a vida e devorar as energias do universo. Incapaz de conceber o mal, os Titãs tentaram achar um modo de terminar com a constante ameaça dos demônios.


O PANTEÃO DOS DEUSES TITÃS


Aman'Thul,
Pai celes
tial do panteão
Concedeu uma parcela de seu poder ao dragão de bronze Nozdormu, para proteger o tempo e o destino.



Eonar ,
Padroeira de toda a vida
Concedeu uma parcela de seu poder ao dragão vermelho Alexstrasza, para proteger todas as criaturas vivas no mundo e ao dragão verde Ysera, para vigiar a natureza.



Norgannon ,
Guardião e mestre da magia
Concedeu uma parcela de seu poder ao dragão azul Malygos para ser o guardião da magia e ocultismo.



Golganneth ,
O trovejante,
Criador do céu e dos mares
Pai dos gigantes do mar, estes por sua vez o ajudaram a levantar do fundo dos oceanos a terra firme.


Khaz'goroth,
O Forjador, Criador da terra e das montanhas
Concedeu uma parcela de seu poder ao dragão negro Neltharion, e lhe deu domínio sobre a terra e as profundezas do mundo.



Sargeras,
O campeão, O defen
sor dos mundos.
O maior de todos os guerreiros, sua missão era unicamente defender os mundos recém criados de todo o mal, futuramente ela trairá os titãs e se tornará comandante supremo da Legião Flamejante (Burning Legion).


Aggramar,
O successor, O guardião dos mundos.

Sucessor de Sargeras após a sua queda e envolvimento com a Legião Flamejante (Burning Legion).






A TRAIÇÃO DE SARGERAS
Com o passar do tempo, entidades demoníacas da dimensão inferior, se infiltraram nos mundos dos Titãs, e o Panteão elegeu seu maior campeão, Sargeras, a agir como sua linha militar de defesa.

Sargeras era um gigante nobre de bronze fundido, levou a cabo os seus deveres, procurando e destruindo demônios, durante milênios enquanto os outros titãs se ocupavam em criar mais e mais mundos.

Sargeras encontrou duas raças demoníacas, ambas poderosas, que estavam disputando o poder e domínio do universo físico. Uma dessas raças demoníacas era os Eredar, uma raça insidiosa de feiticeiros diabólicos, utilizando magia negra para invadir e escravizar vários mundos. Muitas raças nativas desses mundos foram transformadas em crias demôniacas pelos poderes malévolos dos Eredar.

A outra raça de demônios era os Nathrezim, também conhecidos como “Dread Lords”, uma raça escura de demônios-vampiros que conquistou vários mundos transformando seus habitantes em “sombras”. Os abomináveis Dread Lords enganaram nações inteiras pondo umas contra as outras, manipulando-os em ódio irrefletido e desconfiança.

Sargeras derrotou as raças, pois seu poder era insuperável, mas as constantes batalhas com demônios acabaram por abalar a sua consciência, a corrupção e caos da natureza dos demônios afetou Sargeras profundamente, a dúvida e desespero tomou conta de sua mente e com o passar do tempo ele simplesmente perdeu a vontade de proteger os mundos criados pelos outros titãs, se sentiu subjulgado por eles, perdeu a fé em sua missão, e a manutenção ordem já não fazia mais sentido, o loucura, caos e depravação fazia parte daquele universo e trazer a ordem a tudo isso de repente lhe pareceu errado, logo cresceu um sentimento de ódio para com os outros titãs no coração de Sargeras.

Os Titãs da mesma categoria dele tentaram o persuadir de seu erro e acalmar suas emoções furiosas, mas ele desconsiderou as convicções mais otimistas. Sargeras teve a idéia de achar seu próprio lugar no universo. Embora o Panteão estivesse triste com sua partida, os Titãs nunca poderiam ter predito a perda de um irmão.

A loucura de Sargeras consumiu os últimos vestígios de seu espírito valoroso, ele acreditou firmemente na idéia de que os Titãs eram responsáveis pelo “Crime da criação”. Decidindo, afinal, desfazer seus trabalhos ao longo do universo, destruindo mundo após mundo. Ele planejou formar um exército imbatível que queimaria por completo o universo físico criado pelo Panteão.

Quando Sargeras, que tinha forma nobre titânica, foi completamente corrompido pelas entidades demoníacas, sofreu uma transformação, refletindo visualmente sua fúria para com os outros titãs, os seus olhos, cabelos, e barba estouraram em fogo, e sua pele de bronze metálica dividiu-se abrindo e revelando um forno infinito de ódio devastador. Na sua fúria, Sargeras quebrou as prisões dos eredar e dos Nathrezim e deixou os demônios repugnantes livres. Estas criaturas espertas se curvaram diante a vasta raiva do Titã escuro e se ofereceram a para servir-lo de qualquer modo malicioso que eles pudessem. Dos Eredar, Sargeras escolheu dois campeões para comandar o seu exército demoníaco de destruição. Kil'jaeden, o Enganador, que foi escolhido para recrutar as raças mais escuras no universo. O segundo campeão, Archimonde, foi escolhido para conduzir os vastos exércitos em qualquer batalha contra os Titãs.

Vários dread Lords serviram como seus agentes pessoais de Kil'jaeden ao longo do universo, localizando raças primitivas para serem corrompidas e subjugadas. O Primeiro entre os dreadlords era Tichondrius, este serviu Kil'jaeden como o soldado perfeito e concordou levar por Sargeras o testamento ardente para todos os cantos escuros do universo.

Archimonde também possuiu seus agentes, eram seres conhecidos como Senhores das profundezas (Pit lords) e o líder bárbaro deles era Mannoroth, o Destruidor. Archimonde esperou estabelecer uma elite lutadora que poliria a criação de toda a vida no universo.

Uma vez que os exércitos de Sargeras foram recrutados e estavam prontos para seguir seu comando, ele lançou suas forças se enfurecendo na imensidade da Grande Escuridão. Ele chamou seu exército poderoso de Legião Flamejante (Burning Legion), e eles consumiram e queimaram inúmeros mundos na sua Cruzada Ardente e profana pelo universo.


Continua...

1 comentários:

Damaran disse...

o engraçado da história de warcraft é que ela é super clichê, mas por uma questão de ser tradicional, arrebanhou milhões de fãs. os caras souberam mesmo explorar a franquia.

Postar um comentário