3 de outubro de 2010

O Maravilhoso Mundo dos Tabuleiros

Sem tempo de preparar aquela aventura com “n” cenas, “x” personagens e” y” características para levar em consideração?
Sem grupo para jogar mais que uma aventura solo?
Sem inspiração, paciência ou recursos?

Seus problemas acabaram!
Apresento-vos o Maravilhoso Mundo dos Jogos de Tabuleiro.

War? Jogo da Vida? Detetive? Sim, e muito mais. O jogo de tabuleiro é uma realidade em outras culturas como a norte-americana e sobretudo a européia. Na Europa, a família inteira passa uma tarde de fim de semana numa saudável e divertida partida dos mais de 40.000 títulos existentes.


A tradição, principalmente na Alemanha, é tão grande, que há rotas de turismo especializadas em cidades cujas indústrias são voltadas para os jogos de tabuleiro ou board games. Na Internationale Spieltage, SPIEL ou simplesmente Feira de Essen, um dos principais eventos mundiais desse tipo, mais de mil títulos são lançados anualmente.
Mas vamos à nossa realidade: sem uma indústria voltada para o ramo, ficamos a mercê de empresas como Estrela e Grow, que até agora não levaram em consideração o potencial dos bons jogos de tabuleiro. Há títulos interessantes já lançados no Brasil, destas e de outras empresas, tais como Supremacia (fora de catálogo), Arte Moderna, Escrete (criado por Chico Buarque de Holanda e fora de catálogo) e os clássicos War (agora também em cartas), Batalha Naval, Detetive, Jogo da Vida e Banco Imobiliário, dentre vários outros.

Mas há novidades, a Devir lançou vários títulos em português, dentre eles destaco três: Carcassone, Descobridores de Catan e Inferno.
Os dois primeiros são muito interessantes e uma excelente introdução ao estilo europeu de jogar. O terceiro é um wargame, como D&D já foi um dia.

Os jogos de tabuleiro modernos envolvem uma variedade de estilos diferentes: jogos de cartas onde compor uma boa “mão” é o que garante a vitória; jogos de guerra com miniaturas e doses de estratégia e sorte; jogos temáticos envolvendo filmes, épocas históricas, atividades industriais ou econômicas; jogos abstratos no estilo de dama e xadrez; jogos de “farra”, que envolvem várias pessoas, muita interação e diversão e muitos outros esquemas de mecânica de jogo.

A blogosfera nacional já contempla vários endereços onde se divulga, se explica e se confraterniza em torno dos jogos de tabuleiro, além de muito suporte internacional. A maior parte dos títulos encontra-se em idiomas estrangeiros, apesar de que, muitos dos jogos, salvo o manual de regras, quase não trazem texto, facilitando seu uso. É possível ainda encontrar traduções feitas por fãs nos sites especializados, além de jogos do tipo “imprima e jogue”.

Em São Paulo, há uma casa especializada em jogos de tabuleiro, que funciona também como bar e restaurante, a Ludus Luderia, onde você chega, pede o cardápio (um catálogo de mais de 500 títulos de jogos nacionais e importados) e espera seu pedido, que vem acompanhado com um instrutor, diversão garantida para você e seu grupo de amigos.

Dizem que os jogos de tabuleiro são o caminho para o rpgista sem tempo, semi-aposentado ou sem grupo. Realmente, a iniciação aos jogos de tabuleiro é mais tranqüila, permitindo maior facilidade de acesso, não requer preparação prévia e podem ser tão estimulantes, divertidos e “duráveis” quanto uma campanha de RPG. São, no entanto, praias distintas, embora familiares.

Abaixo, imagens de alguns jogos interessantes:









E você, vai jogar ou vai ficar aí parado?

: D

11 comentários:

Fernando del Angeles disse...

Cara, ótimo post, me amarro em jogos de tabuleiro, mas realmente no comércio convencional ficamos a mercê de alguns jogos já batidos e não há muitas novidades. Posso dar a sugestão de alguns posts com os jogos que você acha interessante e como funcionam. Gostaria de conhecer mais de alguns destes jogos... abraços

Daniel Coimbra disse...

Opa, Fernando, obrigado pela presença. Pelo texto deixei alguns links para sites especializados no assunto, mas listo aqui também:

http://www.ilhadotabuleiro.com.br/
http://boardgamegeek.com/
http://covildozombie.blogspot.com/
http://www.ocastelodaspecas.com.br/
http://eaitemjogo.blogspot.com/
http://dreamwithboardgames.blogspot.com/
http://gameanalyticz.blogspot.com/
http://tabuleirosdabahia.blogspot.com/
http://www.catanbrasil.com/
http://www.clubedoum.com.br/index.php

Valeu!
: D

Fernando del Angeles disse...

Valeu...

Michael Wevanne disse...

e eu ainda na labuta para desenvolver o "TNT", uma proposta de board game para a "casa de plastico game design".

Daniel Coimbra disse...

Michael, estou baixando um sobre zumbis, da seção Imprima e Jogue, lá da Ilha do Tabuleiro, dá um olho lá!

:D

http://www.ilhadotabuleiro.com.br/jogos/dead-of-night

Gilson disse...

Bacana, Daniel! Como sugeri, poderias fazer postagens sobre os jogos que tens/já jogaste, principalmente os que estão disponíveis em português. Refiro-me aos recentes da Devir, os jogos dos anos 80 parecem não ser tão divertidos quando comparados.

No mestrado de Mateus Rocha, disponível em livro, ele foi às origens dos jogos de guerra, na Alemanha em 1780-1810, que mais de um século depois fomentaria o surgimento dos jogos de miniaturas, que por sua vez originaram o RPG D&D.

Gilson

Daniel Coimbra disse...

Ok então, semana que vem falo um pouco sobre Descobridores de Catan!

: D

Michael Wevanne disse...

"recentes da devir"? soh se teu "recente" significar uns 10 anos atras! hehehe!

Gilson disse...

Sim, claro que pode ser. Basta estar conceituado.

Mas o que eu disse de onde 'recortaste' a frase, seu significado foi mutilado. Logo em seguida cito os jogos dos anos 80 (oitenta). Então, jogos que vieram depois dos anos 80 - já são 30 anos atrás - são sim recentes.

:)

Gilson

Michael Wevanne disse...

(eu ateh fiquei com peso na conciencia quando tu disse que eu "mutilei" o coitado do significado... serah que ele passa bem depois do meu crime?)

XD

Gilson disse...

¬¬

Postar um comentário