19 de agosto de 2011

As Fontes Históricas e o RPG


Olá a todos.
Depois de ver no último semestre toda a gama de fontes que o historiador utiliza em suas pesquisas, lembrei, logicamente, das fontes utilizadas pelos narradores/jogadores de RPG na criação de suas aventuras e personagens. No meu caso eram filmes, livros, textos e matérias da extinta Dragão Brasil e da internet, e uma pergunta me veio a mente: Seria possivel utilizar as fontes históricas para criar aventuras e personagens de RPG?

Mas antes de tornar o texto mais especifico, deixem eu explicar rapidamente quais são as fontes históricas mais utilizadas pelos historiadores:Os documentos oficiais produzidos pelos estados, fontes arqueologicas, jornais, cartas e revistas, livros testamentos e inventários, processos criminais, registros de nascimento, casamento e óbito e mais recentemente fotografias, diarios pessoais, o patrimonio cultural e fontes audiovisuais.

Alguns narradores/jogadores podem pensar que a resposta mais logica para a pergunta acima seria Sim, afinal de contas quem nunca utilizou ideias tiradas de livros de história, mas estou falando de utilizar a fonte primaria, descobrir aonde está aquela informação que aparece no livro, a fonte.
Quantas aventuras e personagens poderiam ser criadas com a leitura de um jornal da decada de 1940? ou com a analíse de um processo criminal do fim do século XIX?

A História de seu estado daria uma boa aventura de RPG?

Como narrador sempre tive predileção por narrar aventuras na minha cidade, Belem, afinal conheço a cidade muito bem, mas será que os acontecimentos históricos e até os cotidianos de uma cidade e estado serviriam de base para uma boa crônica?
A resposta é sim, mas a primeira coisa a ser feita é esquecer a história conhecida, aquela que é encontrada nos livros didáticos, afinal nem tudo o que está nos livros é verdade.

Vou usar como exemplo um feriado estadual recente, a Adesão do Pará a Independencia do Brasil, se um narrador for pesquisar direto nas fontes históricas sobre o fato, ele com certeza irá descobrir informações que não são de conhecimento público, como o fato de que até 1823 o Pará, neste caso a Provincia do Grão - Pará e Maranhão, não fazia parte do Brasil, sendo um estado português a parte, que um blefe de Grenfell convenceu os responsáveis pelo Estado a aceitar a adesão. O Almirante trazia uma carta que seria de Dom Pedro I. O documento comunicava que os governantes do Pará deveriam se unir ao Brasil, caso contrário teriam os territórios invadidos. A esquadra imperial estaria esperando em Salinas, pronta para bloquear o acesso ao porto da capital e assim sufocar a economia, baseada nas exportações, a poderosa esquadra imperial tinha apenas 100 homens, e que o nosso feriado é comemorado na data errada, pois o termo de adesão foi assinado no dia 16 e não no dia 15.

Não irei aqui descrever quantoas aventuras o fato histórico descrito acima, se bem pesquisado, pode gerar, deixo isso como um exercicio imaginativo para os leitores do blog, mas o exemplo serve para mostrar que a pesquisa feitas em fontes históricas muda e amplia a forma que o narrador/jogador passa a ver determinado assunto e serve de base não apenas para a criação de aventuras e personagens mas tambem para contos e livros de RPG.

Mas aonde estão as tais fontes históricas??

Aqui em Belem temos três locais públicos de pesquisa, a Biblioteca Pública Arthur Vianna, o Arquivo Público do Estado do Pará e o Centro de Memória da Amazônia.
Na Biblioteca Arthur Vianna estão guardados exemplares de vários jornais do estado e mais livros e obras de autores paraenses, no Arquivo Público estão os documentos oficiais do estado desde o periodo colonial e o Centro de Memória guarda o fundo do Tribunal de Justiça do Estado, tanto cível quanto criminal.

A despeito da falta de tempo clamado por muitos para este tipo de pesquisa, garanto que será uma experiência enriquecedora para qualquer Rpgista, quem sabe você pode encontrar a noticia da caça a um metamorfo no edificio Manuel Pinto da Silva, um relato de uma perseguição de um carro por um disco voador ou até saber como funcionava e operava a Inquisição em Belem, ou alguem pensa que a Inquisição só foi na Europa??

Biblioteca Pública Arthur Vianna
End.: Av.Gentil Bittencourt, N°650. Belém-PA
Fone: 0(xx) 91 3202-4332
Fax: 0(xx) 91 3202-4372
E-mail: gbpav@fcptn.pa.gov.br

Arquivo Público do Pará
Travessa Campos Sales, 273 - Campina
Belém - PA, 66019-050
(0xx)91 3219-1111

Centro de Memória da Amazônia
Travessa Rui Barbosa, 491
Belém - PA, 66053-260
(0xx)91 3252-2843

6 comentários:

Rodrigo "Ragabash" disse...

Show de bola Bruno!

Me identifico por completo com seus pensamentos.

Meu sonho é criar uma adptação de Mundo das Trevas para Belém, mas o contexto histórico é tão complexo que exigiria um trabalho com várias pessoas engajadas ao projeto e com bastante tempo.

Mas sonhos foram feitos para serem perseguidos. Me resta apenas saber quando poderei alcançá-los. :o)

Fabricio Caxias disse...

Ótima iniciativa Raga, resgatando a história do que é nosso e (que estão querendo roubar) mostrando como fazer uma boa pesquisa pra quem não ´pe versado no assunto

Victor H.J. Bevilaqua disse...

legal, mas cade os plugins de redes sociais nesse blog?!?!?!?!

farra_el disse...

Muito legal e instrutivo seu texto meu caro amigo, mesmo sem esta jogando eu fiquei curioso sobre algumas coisas. Um grande abraço!

farra

Michael Wevanne "Mwxs" disse...

Boa, Chuva!

Acrescento também que outras áreas de conhecimento científico podem ser usadas também para as partidas de jogos de RPG... De vez em quando eu leio a revista Scientific American e me apanho pensando em ideias para aventuas entre as páginas da publicação, seja sobre física, astronomia, bioengenharia, etc.

Cíntia Lisboa disse...

Yaaah *---* A história do Pará, acho muito legal. Muito bom o post, muuuito bom!
*pensamentos'soltos: índios.. rituais, lendas *--* , todo aquele sigilo de contos, o cuidado com a mãe natureza e pans, todas as regras... os seus deuses..aaaah*

Eu nunca narrei, mas estou tentando né u.u tenho procurado algumas coisas na internet, lido bastante, só que..POW! Tenho o nosso Pará, o meu Pará..Quando vou na casa da bisavó u.u ela me conta cada história lol.
Então o post me deu tantas idéias, facilitou tanto a minha vida u.u , me esclareceu algumas coisas, me deu uma enoorme luz *-* yaah, obrigada!

Amei o post, amei.. muito obrigada Chuva!

Yaaaaaaaaaah! Vou correr pro word pra escrever umas idéias..lalalala;

Postar um comentário