27 de fevereiro de 2010

Preconceito x Diversão por A. Scarlet

Dentre os vários meios de RPG existentes nos dias atuais, sejam eles reais, como os primeiros jogos de tabuleiro e dados (First Quest, D&D, AD&D, Storyteller, etc.) sejam eles virtuais, como os diversos títulos Massive Multiplayer Online Role-Playing Game - MMORPG (Ragnarok, Diablo, War Craft, etc.) existentes no mercado. Pouco se percebe a presença feminina dentre os grupos. Isso se dá pelo estigma do RPG ser predominantemente jogado por homens, o que lhe confere certo grau de machismo.

Parece coisa do passado, mas ainda acontece nos dias atuais. E não obstante a rara presença feminina nos grupos de RPG, ainda nos deparamos com outro tabu: jogadores que interpretam PCs do sexo oposto.

Sabendo que o RPG é um jogo de interpretação de personagens em um mundo imaginário onde suas escolhas e seus comportamentos, bem como sorte nos dados, podem interferir diretamente na formação de suas histórias. Como você se portaria contracenando com outro jogador que interpreta um personagem do sexo oposto? Em outras palavras, como os jogadores de RPG interpretam seus PCs diante de uma PC feminina interpretada por um jogador masculino? Difícil responder, não é?

Essas dúvidas, entre outras, acerca de homens interpretarem PCs femininos e mulheres que interpretam PCs masculinos, rondam sim as mesas de RPG, não só em Belém, mas em vários locais do mundo. A diferença entre esses e outros assuntos ligados ao jogo, é que este assunto é comentado “em off” e não discutido abertamente nas mesas.

O RPG, querendo ou não, possui uma formação um tanto quanto machista na composição de seus jogadores. O fato é que não há espaços abertos para um jogador que queira tentar essa proeza.

O simples fato de um homem interpretar um PC feminino não lhe confere menos masculinidade, muito pelo contrário, deveria ser visto, do ponto de vista de interpretação, como um alcance criativo muito superior. O que também se aplica para as mulheres.



Seu desempenho no jogo é completamente comprometido, porque não há interação, os diálogos são evitados gerando sua exclusão de forma gradativa ou imediata.

Outro ponto importante é o veto do narrador quanto a participação de um jogador com esse interesse. Sem saber como lidar com essa situação, o narrador por muitas vezes impede este tipo de participação em suas campanhas, seja por questões pessoais, seja por não saber como o restante da mesa vai aceitar tal notícia ou seja por medo de perder os outros jogadores.

Em suma, tudo isso se dá por conta de um bloqueio sociológico chamado de preconceito. Bloqueio que não deveria se interpor em um jogo onde o principal objetivo é a diversão.

O que você achou? Gostou? Não gostou? Concorda? Quer saber mais? Então Opine! Deixe seu recado...

por A. Scarlet -------------------------------->









Autor: Jonnathan Sena, Belém - PA.
Contato: nightsclub@gmail.com


----------------------------------------------------

Nós do RPG Pará gostariamos de agradecer ao Jonnathan por ter participado do quadro Colaborador Eventual do RPG Pará. Aqueles que também estiverem interessados em participar desse espaço e publicar suas idéias e outras coisas mais sobre RPG, deverão seguir as orientações no seguinte link: Colaborador Eventual do RPG Pará.

13 comentários:

Gilson disse...

Assunto interessante, ainda mais no ponto de narradores imaturos.

Gilson

Fernando "FenrirX" Afonso disse...

Para não ficar um comentário entediante, preferi transcrever minha opinião no blog dos Cavaleiros das Noites Insones. Abaixo tem o link. Muito boa a postagem, eu gosto de assuntos deveras "polêmicos" no meio RPGístico. Sucesso com o blog!

http://cavaleirosdasnoitesinsones.blogspot.com/2010/02/preconceito-vs-diversao-uma-resposta.html

rpgvirtual disse...

Já joguei com personagens femininas e tudo sempre foi tranquilo... Já aconteceu de minha feiticeira dormir com o ladino do nosso grupo...

Alexandre Fnord

Lady Zombie disse...

Uma das coisas que eu sempre achei escroto mas em muitas mesas(não estou generalizando) em que joguei ou até mesmo em mundos virtuais, se aparece mulher cai um monte de homem querendo agarrar. E também rola um certo preconceito com homens que jogam com personagens femininos em rpg, contudo se for jogar com mulher em mundos virtuais esse preconceito já não é tão grande.

Fernando "FenrirX" Afonso disse...

Não é tão grande porque a internet já tem bastante fake: creio que 51% dos homens que acessão a net se passam por mulheres em meios virtuais. Tenho um amigo que tem essa mania, e não consegue mais largar pois fez muitos amigos, e se ele "se revelar homem", perde todos, e sua vida "social" na net.

Gilson disse...

Isso que a Lady Zombie falou é verdade, e há a irritação de personagens masculinos sempre querendo agarrar personagens femininos.

Gilson

Rafael disse...

Nunca joguei com personagens femininos, mas já joguei com mulheres na mesa, de fato acontecem "manicadas" muita das vezes, principalmente se a garota for bonita... Mas acho que é possível isto ser controlado com um mestre experiente.

Gilson disse...

Ouvi relatos abomináveis há poucos meses.

Gilson

Roger disse...

Hummmmm......Concerteza o assunto dessa materia vai dar muito o que se pensar.....pois eu sou Mestre a mais de 10 anos em RPG e ja vi muitos dos casos citados acima.....e devido a esses problemas algumas vezes proibi a entrada de pc's femininas interpretadas por Homens no passado...hoje em dia em meu projeto de X-men: mutantes a Evolução Narrado no parque da residencia tenho um pc feminino sendo interpretado por um Homen sendo muito bem ACEITO....=]

Parabens ao criador desse Texto!!!

Natália disse...

bem eu jogo na mesa de x-men e até onde vejo e sinto não há preconceito algum ^^
já nas outras nada posso falar!

Jonnathan disse...

Confesso que fiquei curioso para saber que relatos abomináveis são esses, Gilson!!!

Gilson disse...

Estou escrevendo postagens abordando esse e outros assuntos, juntamente com amigas psicólogas, que não conhecem o RPG, mas sabem sobre assédios morais, sexismos e preconceitos.

Gilson

Sandman disse...

Sou uma alma abençoada...
Recentemente comecei com um grupo do qual 2 moças fazem parte.

Particularmente uma delas é extremamente eficiente no quisito 'interpretação'.

Apóio, recomendo e incentivo a participação feminina em mesas de RPG.

Falei!

Postar um comentário