11 de outubro de 2011

O que é RPG com a Turma da Mônica Jovem


O que é RPG com a Turma da Mônica Jovem
By Bruno Chuva

Olá a todos.

O que é RPG? Como se joga? Como se tornar um Mestre?, Qual é o jeito certo de se jogar?

Quantas vezes tivemos dificuldades em reponder estas questões para aqueles que não conhecem o nosso tão afamado jogo…

Muitos de nós dizem que não dá para explicar o que é o RPG sem jogar e que não existe nenhum guia de como se jogar. Mas isso mudou, pois agora temos um “Guia” de como se joga RPG sendo vendido em bancas de revista, é a revista da Turma da Mônica Jovem nº 38.

Antes que alguem venha me apedrejar, deixe-me explicar do que se trata a revista:

Com o subtitulo “Masmorras e Dragões”, a revista é um passeio pelo universo da mesa de RPG, os personagens da Aventura, tendo o Xaveco como Mestre, são:Cebola, O Paladino, Magali, A Maga, Cascão, O Ladino e Mônica, A Elfa Arqueira, juntos eles se aventuram pelo mundo de Mavidele.

Com direito a um combate com um Urso-coruja, vemos na revista várias situações que nos acostumamos a ver nas mesas de jogo, como o jogador que conhece as fraquezas e poderes dos monstros, e a dificil interação entre eles, já que seus objetivos no jogo não são condizentes, passando pela discurssão com o Mestre sobre os rumos da Aventura, onde ele tem que impor sua posição frente aos jogadores.

È muito interessante a forma como as interações entre os jogadores ( e não os personagens) são mostradas nos quadrinhos, pois assim como acontece em uma mesa, cada jogador tem uma visão diferente do jogo, incluindo o Mestre.

A revista mostra de forma clara as quatro facetas classicas do jogador de RPG, e se vocês olharem as paginas aonde isto é mostrado, verão porque digo que esta revista é um guia de RPG, Cebola é o Apelão, Magali é a Historiadora, Cascão é o Estrategista e Mônica é a Teatral, estilos com os quais o Mestre não consegue lidar, tendo que forçar a barra em muitos pontos para que os jogadores façam o que ele quer, nada muito diferente do que acontece em uma mesa.

No decorrer da Aventura, e da revista, vemos vários clichês de mesa de jogo, como o monstro gigante dentro do aposento tracando, ou o jogador que quer namorar o personagem de outro jogador, o que gera uma divertida situação em que a Mônica tem que rolar 1 D20 para beijar o personagem do Cebola, e o resultado é uma falha critica.

A parte mais interessante da revista, em minha opinião, são os cinco: Xaveco, Cebola, Magali, Cascão e Mônica, fora do jogo, tentando descobrir o que fazer para a Aventura dar certo e que todos consigam se divertir, dando uma importância especial ao papel do Mestre.

E para finalizar, o texto possui várias frases tiradas das mesas de jogo como a clássica: Se você não está se divertindo, então está jogando errado!, e temos ainda uma songela homenagem a Dave Arnerson e Gary Gygax, os criadores do RPG que aparecem na história.

Não sei o quanto tem de dedo do Cassaro nesta revista, mas ele e todos da equipe estão de parabéns pelo excelente trabalho que fizeram.

E vocês devem estar se perguntando, porque eu comprei uma revista da Turma da Mônica? bem comprei para a minha filha, que ficou super feliz em saber que seus personagens de história em quadrinhos favorito também jogam RPG, o seu jogo favorito.

E para terminar de vez, irei reproduzir aqui a última pagina da revista que é um texto do Mauricio de Souza na colua Fala Mauricio:

“Um jogo de muitas emoções, Um mergulho no seu eu. A busca das estrategias vitoriosas. O abandono dos amigos. O que interessa é vencer?

Quem pensa que está vivendo esta situação… Talvez esteja realmente, porque aqui estou falando de um jogo escolhido pelos nossos amigos da turma jovem na história desta edição…

Um jogo sem ganhadores ou perdedores depois de terminado. Mas ao mesmo tempo, um jogo que passa lições de vida, de comportamento social, de amizade e solidariedade… se você quiser sair vivo.

Avalie como você se comportaria em cada momento, á frente de cada desafio, e pense se não faria o mesmo, seria meiga e despreparada como a Magali? Nerd como o Cascão, levando todas?, ambicioso e Conquistador como o Cebola? ou preocupada em parecer o que não é como a Mônica?

No jogo que permite várias rodadas, você pode mudar de jeito, estratégia, vontade, foco…

No jogo da vida, pode não haver novas rodadas.

Mas, se houver, pense o que mudaria e … enfrente tudo ao lado de amigos.

Afinal, mostramos aqui que, acão em equipe, em colaboração, nos faz vencedores contra o vilão final e merecedores do tesouro mágico.

Quem quer jogar?”

12 comentários:

Michael Wevanne "Mike" disse...

Massa, Chuva! Ótimo post!

(Já vou correr até as bancas e conferir a HQ!)

Michael Wevanne "Mike" disse...

Maurício de Souza é o cara! Seu trabalho faz parte não apenas da história das HQs do Brasil, mas da própria história da arte tupiniquim!

John Bogéa disse...

Até concordo que a arte de Mauricio de Souza faz parte da história do Brasil, mas considerando só a arte original dele (que realmente era original, assim como a arte de Angeli, Ziraldo, Mutarelli etc).

A versão jovem da turma é só subproduto japones genérico, conceito fraquíssimo em relação a originalidade da versão infantil.

Mas, claro, essa é só uma análise visual, nunca li os textos.

Elves disse...

Que confusão, agora os comentários ficam divididos entre os sites do RPGPará -.-'

John Bogéa disse...

CAlma que logo tudo vai estar certinho.

Rodrigo "Ragabash" disse...

Ei Bruno! Qunado eu voltar de Sailnas em novembro eu quero pegar emprestado essa resvistinha para ler... hihihihihihih

Eduardo disse...

Caramba, que excelente post hein?

Vou comprar a revista e deixar guardada pra quando surgir a oportunidade de apresentar o jogo para jogadores mais novos!

Valeu por compartilhar!

Fenero Frontera disse...

O Cassaro andava tão quieto, que eu esperava uma coisa do tipo. Acho válido, e muito proveitoso..

Monge Shaolin disse...

Estou com a revista nas mãos e não encontro o Gygax ou o Arnerson...

Michael Wevanne "Mike" disse...

Descolei um exemplar para mim... Bem legal, pode ser até educativo para alguns mestres encontrarem o rumo em seu grupo de jogo.

RPGeo disse...

Só achei picaretagem dar a entender que o roteiro é do Maurício... uma história dessa o cara tem que ser jogador de RPG a uns 15 anos... n lembro de outras referencias ao RPG em estórias passadas.

Tem a maior cara de Cassaro do começo ao fim...

Ele foi esperto, angaria novos RPGista para hobby e de quebra potenciais consumidores do seu produto (Livros de Tormenta e 3D&T).

Bruno Chuva Vermelha Neves disse...

Monge Shaolin, dá uma olhada no inimigo do final, e no quadrinho que aparecem varios personagens..

RPGeo, não sei como funciona as coisas lá dentro, mas nos creditos o cassaro aparece "Layout de roteiro", e já houve sim outras referencias sobre RPG na revista, se eu não me engano é na revista nº 2.

Postar um comentário