5 de julho de 2011

Forgotten Realms x Novatos x Sistema Interpreta

Salve povo!


Estamos na iminência de realizar mais um encontro na Saraiva. O tema desse mês será Cenário Forgotten Realms.

Para as aventuras que pretendemos realizar, estamos prevendo o uso dos vários sistemas que serviram de base para Dungeons & Dragons (D&D 1ª, AD&D, D&D 3ª e D&D 4ª).

Além destas, estamos programando uma mesa para novatos, a qual fui incumbido de assumir a responsabilidade de narrar.

Considerando que, para um novato, D&D não é um sistema muito rápido de se pegar, pensei numa idéia maluca de usar um sistema que pouco exploraria as rolagens de dados e maximizasse a interpretação. Afinal de contas, eu acredito que estimular a imaginação seja o melhor caminho para se mostrar o RPG.

Portanto, elaborei um sistema o qual chamei de Interpreta. A idéia do sistema é muito simples e de pura imaginação.

Inicialmente, eu irei apresentar aos jogadores imagens de personagens com algumas informações conceituais e dizer para eles os interpretarem do jeito que eles imaginarem. Não existem atributos e quaisquer características.

Ou seja, os personagens serão idealizados através de dois fatores: o poder de influência do narrador sobre os jogadores e a imaginação dos jogadores.

Em seguida, eu farei uma rápida introdução do cenário, que no caso será Forgotten Realms.

Passada a etapa de imaginação e ambientalização dos jogares será iniciada a narração da aventura.

Para qualquer resolução de ação que os jogadores quiserem designar aos seus personagens iremos usar um dado de 6 faces e classificar suas faces da seguinte forma:

1 - Falha, e pra piorar...
2 - Falha
3 - Falha, mas ainda bem que...
4 - Acerto, mas ainda pior que...
5 - Acerto
6 - Acerto, e ainda mais

A Mecânica se dará da seguinte forma:

Os jogadores irão decidir a iniciativa através do teste com um d6. Naturalmente os maiores valores serão os primeiros a agir.

Após a definição da iniciativa, os jogadores irão declarar suas ações e rolar um d6. O número naturalmente irá definir o nível de sucesso ou falha. Caso haja um sucesso, o jogador irá narrar os efeitos de seu sucesso. Caso haja uma falha, o jogador seguinte da iniciativa irá narrar os efeitos da falha de seu companheiro.

Simples assim.

A proposta do sistema é de fornecer puro entretenimento, principalmente para grupos de jogadores iniciantes e grupos descompromissados.

A intenção é estimular a imaginação dos jogadores perante qualquer cenário, assim viabilizando a diversão através das preferências dos jogadores.

Se aparecer jogadores novatos interessados em serem minhas cobaias, eu irei trazer meu relato dessa experiência.

Abaixo estou colocando a disposição os personagens que pretendo usar no encontro da Saraiva.







6 comentários:

Michael Wevanne "Mwxs" disse...

Interessantíssimo, Rags. Boa sorte!

Cíntia Lisboa disse...

Gostei da Denair *-*
Muito bom Ragabash (: achei maneira a parte "Caso haja uma falha, o jogador seguinte da iniciativa irá narrar os efeitos da falha de seu companheiro." dá pra trolar legal u.u
Falando sério, é uma boa maneira de introduzir os novatos, deixando a mente livre e leve sem fazer aquele RPG mecanizado -.-
Muito Bom!

Elves disse...

Cara eu nem tava com vontade de ir pq é D&D, mas essa mesa vai ser o bicho(?).

theroleplayer disse...

Uma sugestão que poderia ajudar a tornar a interpretação dos resultados de testes ainda mais narrativa é pegar emprestado as do jogo "Dr. Who". Respondendo a pergunta "Teve sucesso?":

1 - Não, e ainda por cima...
2 - Não.
3 - Não, porém...
4 - Sim, porém...
5 - Sim.
6 - Sim, e ainda por cima...

John Bogéa disse...

Muito massa Raga, indie total, hauhaua.

Duas sugestões:

1) dá um bônus de +1 sempre que o jogador agir de acordo com sua classe. Pra estimular o cara.

2)As sugestão acima, do Theroleplayer, é muito legal.

Parabéns pela iniciativa, ficou muito legal. :)

Fabricio Caxias disse...

OLha, o sistema nem e o problema mesmo e sim o lugar que vc ta pensando em jogar o povo. Por exemplo, um grupo participando das intrigas nobres de Waterdeep nem precisaria rolar dados demais, já q teria de trabalhar de forma mais comedida. Personagens como ladinos, bardos, guerreiros duelistas, rangers urbanos e toda essa corja se encaixam muito bem, sem contar com a classe nobre q foi descrita no dragon lance, mas vale pra qualquer cenario que exista essa divisão de classes.

Sobre o sistema, gostei e concordo com o Boás

Tanamira e Mama Gaga? (lmaorfl)

Postar um comentário