27 de junho de 2011

RPG Pará Apresenta! OSISQUEVONVAIJO!!! Quê? Como? Onde?

Autor: André Mousinho


OSISQUEVONVAIJO
(O Sistema Que Você Não Vai Jogar)


INTRODUZINDO...

OSISQUEVONVAIJO é um sistema propositalmente divertido, nem um pouco sério e muito menos inovador. Dizem as lendas que ele nasceu nos cinco minutos que um estagiário do Seguro Social brasileiro teve de ócio profundo, entre a entrega de um cafezinho e uma xérox no outro departamento.

Pra que serve OSISQUEVONVAIJO?

Bom, temos algumas alternativas:
  • Faltou papel higiênico em casa? Use a cópia que você imprimiu no trabalho!
  • Campanhas sérias em universos comercialmente bem-sucedidos (ahahah...);
  • Campanhas não-sérias em universos comercialmente fracassados;
  • Campanhas eleitorais;
  • O que você quiser;
  • O que você não quiser.


CONSTRUÇÃO DE PERSONAGENS

Vamos ao que interessa.

Para construir seu personagem, primeiramente você deve ter dez cópias impressas em qualidade máxima na sua impressora caseira, da ficha de personagem deste fantástico tomo. Como um professor universitário que obriga os alunos a fotocopiarem apostilas de 500 páginas para usar apenas 5 delas, preencha em uma só os campos iniciais com seus dados pessoais (ou os do seu personagem).


Em seguida sorteie os atributos. O sistema nada inovador de OSISQUEVONVAIJO preconiza poucos atributos básicos. São apenas... oito.
  • Gingado: mede o seu gingado;
  • Papo: mede seu papo;
  • Presença: mede sua presença;
  • Gargalhada: mede sua gargalhada;
  • Hálito: mede seu hálito;
  • Certeza: mede sua certeza;
  • Tentar uma Coisa: mede sua tentativa de acertar categoria de arm...NÃO, não é isso. É outra coisa...;
  • Vidinha: mede sua vidinha.

Cada atributo varia de 1 a 6, de acordo com os quadros abaixo. Sorteie-os jogando 1d6 (um dado de seis faces) para cada atributo e conforme-se com o resultado.



TESTE DE ATRIBUTOS

Quando seus atributos já possuírem valores, poderão ser testados.

Originalmente quando este sistema foi criado na metade da década de 90 do século 20 DC, os testes eram realizados com 1d6, sendo que “6” era sempre uma falha. Mas como fazer com um personagem que tivesse 6 em um ou mais atributos? Nesse caso, o Zé Mané falharia sempre que esse atributo fosse testado.

O tempo passou, o estagiário cresceu, arrumou um emprego e ficou mais inteligente (é o que ele acha). Assim ele desenvolveu a majestosa mecânica de jogo que você aprenderá a seguir porque está sendo obrigado.

Some 5 a cada atributo. Esse é seu valor de teste. Então, com Hálito 3, seu
valor de teste será 8 (porque 3+5 é igual a... 8!).

Agora jogue 2d6 (dois dados de seis faces). Some os resultados. Se você conseguir um valor menor ou igual a oito (neste nosso exemplo), terá passado no
teste. Se tirar um valor maior, terá fracassado vergonhosamente e condenado você e seus herdeiros por trinta e oito gerações à vergonha eterna (Eternal Shame).


ATAQUES

Pode ser que você tenha um ataque ao ver que o preço do esmalte subiu 8% com a alta do dólar e a cotação dos derivados de petróleo. Mas pode ser que resolva acordar um belo dia com vontade de apanhar. Em ambos os casos, você pode fazer um ataque.

Um ataque é uma jogada de 2d6 mais cinco, menos cinco mais seu Gingado (o valor normal até 6, não o valor de teste).

ATAQUE: 2D6 + 5 – 5 + GINGADO

Se você superar a Defesa do alvo, ele se fu@#$!


DANO

Você pode aplicar dano corpo a corpo (se estiver lutando corpo a corpo) ou à distância (se estiver lutando à distância). Uma quantidade fixa de pontos de dano é causada a cada ataque bem-sucedido.
  • Dano Corpo a Corpo: é igual a sua Certeza + Hálito (porque o “cheirrô” de sua boca influencia no alvo não se importar de ficar perto ou querer sair correndo quando você diz “papibaquígrafo” com a boca cheia de farofa de ovo e repolho). Então, com Certeza 2 e Hálito 4, você provocará 6 pontos de dano no alvo se estiver em distância corpo a corpo. Para saber se um alvo está em distância corpo a corpo, se vire.

  • Dano à Distância: é igual a sua Certeza + Tentar uma Coisa (porque sim). Então, com Certeza 2 e Tentar uma Coisa 2, você provocará 4 pontos de dano se estiver em distância à distância. Se você não perceber que um alvo está distante, está precisando de óculos, heim?

  • Armas: que Mané armas? Quer ir preso, criatura?



ATRIBUTOS: QUANDO TESTÁ-LOS?

Bem...
  • Gingado: quando você precisar gingar;
  • Papo: quando você precisar papear;
  • Presença: quando você tiver que gritar “presente” ou dar uma de “apresentado” (enxerido em português arcaico), mas não presentear (isso seria Tentar uma Coisa...);
  • Gargalhada: quando você precisar gargalhar;
  • Hálito: quando você precisar atacar ou para medir seu grau de sociabilidade eólica;
  • Certeza: quando você precisar atacar ou ter certeza de algo;
  • Tentar uma Coisa: quando você precisar atacar ou tentar uma coisa;
  • Vidinha: você não testa sua Vidinha. Ela é que testa você, durante todos os anos de sua vida, submetendo-o a privações, sofrimentos e toda sorte de eventos que poderão deixá-lo depressivo quando for pai e chegar perto dos quarenta anos trabalhando em algo que definitivamente você não gos... ehr, bom... cada nível de Vidinha concede uma quantidade de Pontos de Vida (PVs) que decrescem quando seu personagem leva a porrada que merece.



E QUANDO MINHA VIDINHA ZERAR?

Aí cê morreu, baby! Buahahahahahaha!!!

E seu cérebro estará ali na calçada fazendo “blrublrublru..”.

11 comentários:

Mike Wevanne disse...

LOL!

RPGeo disse...

Heheheh
Eu n sei quem perdeu mais tempo, a criatura que fez esse sistema ou eu lendo isso =P

John Bogéa disse...

Hahaha, só acho que deveria ser um jogo pra mesa de bar, com resolução de conflitos baseada em doses de alcool. XD

Michael Wevanne "Mwxs" disse...

É verdade, Mousinho. Tem que rolar um sistema alternativo de testes, tipo par ou impar ou porrinha! Hehehe! Cada dano é uma dose de pinga! Hehehe!

Cíntia Lisboa disse...

OMG. Ri horrores. Imaginei uma mesa. lol

Lennon disse...

Que tenso. Minha mente bloqueou qualquer imaginação de uma mesa com esse sistema. Acho que passei no teste de sanidade

John Bogéa disse...

Rapaz, já quero criar um cenário de bêbados contra alucinações alcóolicas e outras mazelas, hauahahau

André Mousinho disse...

Vejam vocês o que alguns momentos de ócio fazem com a cabeça do sujeito! Eu tinha 22 anos quando escrevi essa... coisa (ahuahaha)! Hoje estou com 36, mas acabei de reler o sistema e gargalhei (mas a minha Gargalhada não é 2, pô!).

Como eu disse certa vez, esse é o sistema ideal para mesas... de BAR! (huahuahuahuahua).

Ainda mais com a customização LAA que o John Bogéa fará (LAA: Live Alchoolic Action). EI JOHN TÔ FALANDO SÉRIO, buahahahaha!

E amiguinhos, preparem-se: vem por aí o mundialmente famoso no banheiro lá de casa "Guia de Classes FEMININAS de Desprestígio de OSISQUEVONVAIJO" (por amamos mulheres - eu, pelo menos, amo a minha, buaahahahah).

Fiquem com Bahamut!

André Mousinho disse...

O que diabos seria sua "Sociabilidade Eólica"? A melhor resposta ganha um exemplar de duas páginas e meia de OSISQUEVONVAIJO impresso no modo econômico e grampeado na borda!!!!

Ah, e se quiser eu ainda autografo (só pra você ter o prazer de ver meu nome lá se faltar papel higienico, BUAHAHAHA).

Mike Wevanne disse...

(altamente recomendado que, no uso do jogo impresso como papel higiênico, se retire os grampos antes, savey?

Hehehe!

André Mousinho disse...

HUAHUAHUA, muitíssimo bem lembrado, Wevanne!

E o concurso "Defina o que é a 'Sociabilidade Eólica' relacionada em OSISQUEVONVAIJO para ganhar um prêmio inacreditível!" continua, galera!

Basta escrever uma frase dizendo que eu quis dizer com o tal termo! A frase não pode ter mais de 1.970 PALAVRAS, ok, people?

Até agora recebi em meu e-mail andmous@gmail.com a fantástica marca de... "0" frases... (uma demonstração que Bahamut está zelando pela sanidade de vocês!).

Banzai!!!

Postar um comentário