28 de abril de 2010

Magia e Fantástico: O Despertar (Introdução de Uma Idéia)


Salve povo! Como a participação dos RPGistas paraenses em nossos quadros interativos anda muito em baixa, resolvi explorar novos horizontes aqui no RPG Pará.

Vou tentar estimular a participação de nossos leitores na montagem e criação de um jogo de RPG e todo e qualquer material que for produzido desta forma será disponibilizado gratuitamente em nosso blog.

A participação do leitor se dará através de opiniões, críticas e contra propostas sobre as propostas de jogo que por mim forem sendo apresentadas.

E para começar, vou lhes apresentar o porque de ter escolhido esse título "Magia e Fantástico: O Despertar".

A mais ou menos 2 meses atrás, andei pensando sobre um jogo que viabilizasse o uso das classes clássicas de Dungeons & Dragons - D&D em ambientalizações no nosso mundo.

Fiquei imaginando como seria a vida de seres humanos, com as habilidades e poderes das classes de D&D, em meio aos sabores e dessabores de nossa realidade.

Então, com essa idéia na cabeça, comecei a idealizar sobre como esse jogo funcionaria, como seria a criação dos personagens, qual seria o sistema a ser usado, como seria a mecânica do surgimento de pessoas "especiais" em meio a um mundo que procura pensar racionalmente, ou pelo menos tenta.

Foi então que surgiu a idéia de usar a crença em algo ou alguma coisa que alguns seres humanos tem, em detrimento à razão estabelecida no mundo.

"Crença (cren.ça) - sf (lat credentia) 1 Ato ou efeito de crer. 2 Fé religiosa. 3 Opiniões que se adotam com fé e convicção. 4 Crédito diplomático. Antôn (acepções 1, 2 e 3): descrença" - Dicionário Online Michaelis - UOL

"Razão (ra.zão) - sf (lat ratione) 1 O conjunto das faculdades anímicas que distinguem o homem dos outros animais. 2 O entendimento ou inteligência humana. 3 A faculdade de compreender as relações das coisas e de distinguir o verdadeiro do falso, o bem do mal; raciocínio, pensamento; opinião, julgamento, juízo. 4 A faculdade que refere todos os nossos pensamentos e ações a certas regras consideradas imutáveis..." - Dicionário Online Michaelis - UOL

Com esse entendimento, pensei em estabelecer a Crença como o gatilho para os seres humanos desenvolverem poderes mágicos ou fantásticos. Ou seja, o personagem precisa acreditar em algo ou alguma coisa com intensidade suficiente para despertar a magia ou o fantástico que está adormecido em si.

"Despertar (des.per.tar) - (des+lat *expertare) vtd 1 Tirar do sono; acordar: A sereia da fábrica nos desperta de manhã. Minha filha é quem me desperta com o seu beijo. vti e vint 2 Sair do sono; acordar: Despertei de um sono profundo. Despertamos bem cedo na fazenda. vti e vint 3 Readquirir força ou atividade; reanimar: Despertou da languidez. Perante o perigo ele despertara. vtd 4 Tirar do estado de torpor ou de inércia. vtd 5 Dar ocasião a; provocar, suscitar, causar: Este fato despertou-lhe a saudade. Aquelas palavras lhe despertaram na alma recordações e impulsos da idade florescente. vtd 6 Animar, avivar, estimular, excitar: Despertar a sensibilidade. Despertou no filho o desejo de estudar. vpr 7 Manifestar-se, revelar-se, surgir: Despertou-se-lhe a pouco e pouco o sentido da audição" - Dicionário Online Michaelis - UOL

Mas não bastará simplesmente conhecer ou entender uma crença para se despertar. É preciso realmente acreditar. Acreditar que existe algo ou alguma coisa que lhe permitirá realizar atos mágicos ou fantásticos. Acreditar com tamanha intensidade ao ponto de depositar a segurança de sua própria vida por essa crença.

Portanto, decidi desenvolver a mecânica do surgimento de pessoas com poderes mágicos ou fantásticos em nossa realidade através da crença em algo ou alguma coisa.

O que vocês acharam?

Deixem seus comentários para me ajudar a desenvolver cada vez melhor essa idéia de jogo. Semana daremos continuidade.

2 comentários:

RPGeo disse...

Gostei da iniciativa, a idéia é interessante, e dá margem para o que eu sempre quis fazer, um sistema para jogar "The Matrix". A sua idéia de crer em algo para alterar a realidade cabe perfeitamente na idéia do filme dos irmãos Wachowski. Mas nãos eria uma questão de primeiro acreditar, mas sim comprovar, entender, perceber... para só depois acreditar de fato.
Acreditar que o mundo em que vivemos é falso, algo imposto por outros seres, apenas uma manifestação em nossa mente "inferior", seria uma forma de permitir personagens fantásticos.

Na verdade a idéia de acreditar por acreditar não me agrada (apesar de ser cristão e esse ser um dos dogmas do cristianismo), isso no cotidiano social é alienação, não devemos acreditar nas coisas (nos fatos, nas estruturas...) mas sim pensá-las, desvendá-las, entendê-las. "Quem não pensa é pensado", já dizia Cipriano Luckesi (1991).

Por isso, deveria-se pensar em como abordar isso,para que não seja feita uma analogia a alienação e, consequentemente, a manutenção do statu quo.

Mas voltando a discussão inicial, nesse sistema isso ficaria em aberto, ou teriamos que definir: Acreditar em quê? Deus(es)? Energias?


No mais, a "idéia" de criar um sistema me agrada muito, eu já tentei isso diversas vezes e tenho muitas idéias para tal feito.

- Fernando Alves
"Concentre-se em entender, não em acreditar" -Albert Einstein

PS: Malz a viagem... ¬¬

Gilson disse...

E o sistema?

Gilson

Postar um comentário