30 de julho de 2009

Livro de Clã: Giovanni

Salve povo! Depois de dois dias de trabalho intenso, hoje enfim consegui um tempinho para escrever.

Já a algum tempo eu tava pensando em dividir com vocês minha opinião sobre os livros de RPG que tenho lido, porém eu ficava receoso de comentar sobre um livro antigo e que provavelmente já houveram muitas resenhas e opiniões. Mas no final decidi dividir com vocês minhas impressões e opiniões.

Não vou esconder de vocês. Minha preferência, em termos de ambientalização, é o Mundo das Trevas da White Wolf. Portanto, a maioria dos livros que eu comentar no blog serão dessa linha. Não se espantem se de vez quando eu descrever alguma coisa de D&D ou Tagmar. É que como sou de "temporadas", as vezes me empolgo de ler materias diferenes do Mundo das Trevas.

Então, para começar, vou comentar sobre o Livro de Clã: Giovanni, do jogo Vampiro: A Máscara.

Inicialmente, a impressão que eu tive do livro foi que, os vampiros Giovanni fazem parte um clã que foi criado para ser uma conexão com o jogo Aparição: O Limbo (tradução para Wraith: The Oblivion). Sua origem, objetivos e atitudes estão sempre em torno de um único grande objetivo, alcançar a Infinita Noite.

Basicamente, a Infinita Noite é um estado de união do mundo espiritual ao mundo material. Os Giovanni consideram que nesta condição, com os poderes necromanticos que eles têm desenvolvido por séculos, eles poderão dominar o mundo, controlando as almas dos seres que vivem no planeta.

Para alcansar este objetivo, o Clã Giovanni pretende realizar um ritual que permitirá que as fronteiras entre o mundo físico e o Além sejam apagadas. O ritual, de acordo com o livro, exige as almas de 100.000.000 de indivíduos mortos para funcionar. Um número bastante expressivo, não?

Porém, alcansar a Infinita Noite, com o passar dos séculos e com a expansão do clã pelo mundo, se tornou uma busca basicamente exclusiva dos seus anciões. A necessidade da expansão econômica e dos recursos para propiciar toda logística necessária ao seu objetivo levou o clã a "abraçar" famílias de comerciantes, mercantes e até de mafiosos.

Naturalmente essas adições trouxeram consigo objetivos e ambições próprios que são desenvolvidos junto a necessidade do clã de coletar almas.

O resultado disso é que o clã permite aos jogadores a possibilidade de jogar com três tipos de persoangens: o necromantico, que segue a filosofia e o objetivo do clã; o mercantilista, que deseja a expansão de seus negócios; e o gangster, que domina o subimundo das cidades na base da força.

Mas e a Camarilla e o Sabbat? Como os Giovanni conseguem expandir seu poder pelas cidades dominadas por essas seitas?

O Clã Giovanni, para esconder dos outros seu verdadeiro objetivo, mantem uma política de boa vizinhança com aqueles que dominam as cidades. Eles não se intromentem nos interessas dos dominantes locais, desta forma garantindo que outros se intrometam em seus negócios. Por isso é muito comum encontrar vampiros Giovanni vivendo em cidades dominadas pela Camarilla, seita que é mais acessível para negócios.

Um comentário muito interessante sobre essa realação com as seitas é o de Acorri Giovanni, um de seus integrantes, ao comentar sobre a Camarilla: "eles têm estado equiparados com o Sabá
ultimamente, o que por mim está bem. Deixe os dois grandes iate-clubes lutar. Todo tempo que
eles gastam em picuinhas é tempo ganho para arrecadar mais domínios. O verdadeiro vencedor
neste conflito será um clã independente que pode fazer mais ganhos enquanto os Grandões se
espancam". Eu gostei muito desse comentário.

Na minha opinião, o livro é muito bom e cativante. Fiquei tão vidrado na história do clã que acabei lendo-o em algumas horinhas antes de dormir. Porém, como jogador confeço que o Clã Giovanni não me encanta. Eu gosto muito de personagens ativos e ao mesmo tempo questionadores e filosóficos. Não é a toa que adoro jogar de Brujah. Mas isso é apenas uma preferência pessoal.

Para os RPGistas fãs do antigo Mundo das Trevas, considero o Livro de Clã: Giovanni uma leitura essencial. Para aqueles que gostam de ler ambientalizações bem estruturadas e escritas, eu recomento sua leitura.

1 comentários:

kfbeisso disse...

O Livro é bom, mas como todos os outro livros de Clã ele é "imcompleto". Muitas outras informações acerca da história, organização e costumes dos Giovanni poderiam ser dadas.

Postar um comentário